CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS NOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL E A PRÁTICA EDUCATIVA

  • Francisco dos Santos Silva PROIC/ITOP
  • Lourdes Lúcia Goi Faculdade ITOP

Resumo

Esta pesquisa investigou sobre a concepção pedagógica que predomina nas terceiras séries do ensino fundamental das escolas da cidade de Palmas e como repercute na prática educativa. Metodologicamente caracterizou-se como pesquisa exploratória com abordagem qualitativa, através de pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Embora a maioria dos sujeitos pesquisados afirmou que seguem a tendência construtivista e, em segundo lugar, a sócio interacionista, mesmo estando expresso num dos projetos pedagógicos que é esta última, e, mesmo não negando os depoimentos que definem como eclética, percebeu-se muito mais uma falta de conhecimento sobre as tendências pedagógicas, do que um exercício eclético do fazer pedagógico. Embora não generalizando, os resultados apresentados nos levam a sugerir que as participantes da pesquisa representam um universo maior de docentes das escolas de Palmas, orientadas pela intuição. O conhecimento das participantes sobre as teorias pedagógicas é superficial e confuso e o trabalho pedagógico embasa-se na própria prática ou nos livros didáticos, sem respaldo teórico principalmente no rumo das teorias críticas. As práticas refletem um senso comum pedagógico, que prejudica a tão almejada qualidade de ensino. Como consequência as professoras podem se tornar transmissoras da ideologia dominante. E após as apropriações necessárias, considerou-se a importância do embasamento teórico para superar o empirismo da prática, para a elaboração consciente e consistente de uma fundamentação teórica, como base e orientação para o pensar e o agir do educador que se pretende crítico.

Referências

ALARCÃO, Isabel.; TAVARES, José. Paradigmas de formação e investigação no ensino superior para o terceiro milênio. In: ALARCÃO, I. (org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofia da educação. 2 ed. rev. ampl. São Paulo: Moderna, 1998.

CONTRERAS, Domingo J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

GADOTTI, Moacir. História das Ideias Pedagógicas. São Paulo: Ática, 2003.

HAYDT, Regina C. C. Curso de didática geral. São Paulo: Ática, 2011.

LIBÂNEO, José C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 21 ed. São Paulo: Editora Loyola, 2008. pp. 19- 82.
_____________ . Didática. São Paulo: Cortez, 2006.

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 19 ed. São Paulo, Cortez, 2008.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

PIMENTA, Selma G. Formação de professores identidade e saberes da docência. In: ______ (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

_____________ . Escola e democracia. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

_____________. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas SP: Autores Associados, 2007.

WEISZ, Telma; SANCHEZ, Ana. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, (2001).

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.
Publicado
2018-08-12
Como Citar
SILVA, Francisco dos Santos; GOI, Lourdes Lúcia. CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS NOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL E A PRÁTICA EDUCATIVA. Multidebates, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 127-145, ago. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/10>. Acesso em: 18 dez. 2018.