REFLEXÕES SOBRE O USO DO LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS NO ENSINO DE PRODUÇÃO DE GÊNEROS DISCURSIVOS NA ESCOLA

  • Francisco Jeimes de Oliveira Paiva Universidade Estadual do Ceará e Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Resumo

Este trabalho é resultado de atividades na disciplina Oficina III em um curso de graduação em Letras, onde tivemos por finalidade proporcionar um instrumento linguístico-pedagógico de apoio para compreendermos como é abordado e aplicado o estudo da escrita/oralidade nos livros didáticos de português (LDP), em sala de aula. Além disso, essa atividade reflexiva nos forneceu sugestões de atividades a serem aplicadas nos estágios da educação básica. Em geral, sabemos que um dos fatores que dificultam a prática da escrita e oralidade é a (ina)dequação dos conteúdos trabalhados com a realidade e formação básica do aluno, sendo que na maioria das vezes, os professores utilizam apenas os livros didáticos para sua prática, e que geralmente colocam maior atenção para o estudo gramatical, deixando de lado o conteúdo/leitura do texto e o trabalho com a reflexão, análise linguística e ensino de gramática baseada na produção de textos. Temos por base teórica alguns estudiosos da língua/linguagem, como: Britto (1999), Collins; Michaels (1991), Kleiman (1995), Oliveira (1995), Soares (1998), entre outros. Constatamos, portanto, que é preciso intensificar as práticas da escrita na perspectiva da diversidade de gêneros discursivos, já que a escrita é uma modalidade de língua, que embora ainda seja trabalhada de forma tradicional e descontextualizada é, sem dúvida, um instrumento de poder e de inclusão social na sociedade ao longo dos tempos.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

É Revisor/Editor com Certificate for Reviewing Papers pela International Journal of Linguistics and Education (IJLE), 2017. Mestrando pelo Programa Interdisciplinar em História e Letras na Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central (FECLESC), campus da Universidade Estadual do Ceará (2017). Aluno Especial do Mestrado Interdisciplinar em Humanidades da UNILAB/CE (2016). Especialista em Ensino de LÍNGUA PORTUGUESA e LITERATURAS e ADMINISTRAÇÃO de RECURSOS HUMANOS e GESTÃO de PESSOAS pela FTDR/CE. Especialista em Gestão Escolar Integrada e Práticas Pedagógicas pela Universidade Cândido Mendes/UCAM (2017). GRADUADO em LETRAS (Língua Portuguesa e Literaturas) pela Universidade Estadual do Ceará (2011). Atualmente é PROFESSOR Efetivo de Língua Portuguesa/Literaturas da Escola Estadual: EEFM Egídia Cavalcante Chagas e Professor Coordenador da Área de Linguagens (PCA, 2016 a 2017). Foi Professor SUPERVISOR do PIBID da Universidade Estadual do Ceará-UECE/CAPES/MEC (2012/2013). É colaborador na Produção de Material Didático-Pedagógico pela FUNDAÇÃO para o VESTIBULAR da UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - JÚLIO DE MESQUITA FILHO - VUNESP. É Revisor ad hoc da REVISTA ELETRÔNICA CIENTÍFICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR - RECEI (do Grupo de Pesquisa Contexto e Educação - CONTEXTO (CNPq/UERN), da Faculdade de Educação - FE/UERN, e ao Programa de Pós-Graduação em Ensino - PosEnsino, Mestrado em Ensino, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). É Revisor ad hoc REVISTA DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR - periódico científico editado pelo GIZ - Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino, vinculada à Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É Revisor ad hoc da REVISTA ENTRELACES, do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC. É Revisor ad hoc da Revista Interfaces da Educação, editada pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). É Revisor ad hoc da Revista Discurso em Cena ( do Grupo de Estudos e Pesquisa em Linguagem e Análise de Discurso (GEPLAD) e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília).

Referências

BAGNO, M. A língua de Eulália, a novela sociolinguística. Editora Contexto, 1997.

BAKHTIN, M./ VOLOCHÍNOV. Marxismo e a filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1986.

BRITTO, L. P. L. Em terra de surdos-mudos: um estudo sobre as condições de produção de textos escolares. In: GERALDI, J. W. (org). O texto na sala de aula. 2.ed. São Paulo: Ática, 1999, p. 117-126.

COLLINS, J., & MICHAELS, S. A fala e a escrita: estratégias de discurso e aquisição da alfabetização. In: J. Cook- Gumperz (Org.). A construção social da alfabetização. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999, pp. 242-258.

FARACO, C. A. Estrangeirismos: Guerras em Torno da Língua. São Paulo: Parábola editorial, 2001.

FERREIRO, E. Cultura escrita e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

FREIRE, P. O que é Método. 18. ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

_______. Pedagogia da autonomia - Saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CAGLIARI, L. C. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 1991.

_______. O príncipe que virou sapo: considerações a respeito da dificuldade e aprendizagem das crianças na alfabetização. Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, (55): 50-62, nov. 1985.

KLEIMAN, A B. Introdução: o que é letramento. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado das Letras, 1995.

MEURER, J. L; MOTTA-ROTH, D. (Orgs.). Gêneros textuais e práticas discursivas: subsídios para o ensino da linguagem. Bauru: EDUSC, 2002.

OLIVEIRA, M. K. Letramento, cultura e modalidades do pensamento. In: KLEIMAN, A. B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995, pp.147-160.

PAIVA, F. J. de O. O monitor de disciplina em ação: uma análise das práticas de letramentos em atividades de produção de gêneros em um curso de licenciatura. Revista Multidebates. v. 2. n. 1. Palmas/TO, pp. 83-109, mar. 2018. Disponível em: http://itopedu.com.br/revista/index.php/revista/article/view/59. Acesso em 10 de agosto. 2018.

_______. As concepções de alunos do Ensino Médio sobre o uso de estratégias de leitura. In: OLIVEIRA, K. C. C. et al. (Orgs.). Aprendendo na travessia: dilemas do ensino-aprendizagem na escola básica. 1. ed. Teresina: EDUFPI, 2013. p. 76-89.

_______. O professor de língua portuguesa como agente de letramento em anos iniciais do ensino fundamental: uma análise sobre o uso de estratégias de leitura. In: Travessias (Unioeste. Online), v. 10, p. 125-146, 2016.

_______. Metodologia do ensino de língua portuguesa: um enfoque interdisciplinar. 2007. Disponível em: https://www.recantodasletras.com.br/artigos/705184. Acesso em 08 de agosto de 2018.

PARISOTTO, A. L. V.; RINALDI, R. P. Ensino de língua materna: dificuldades e necessidades formativas apontadas por professores na Educação Fundamental. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 60, p. 261-276, abr./jun. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n60/1984-0411-er-60-00261.pdf. Acesso em 09 de agosto de 2018.

RIBEIRO, V. M. M. A promoção do alfabetismo em programas de educação de jovens e adultos. In: V. M. Ribeiro (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas: Mercado de Letras, 2001, pp.45-64.

SOARES, M. B. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

SPINILLO, A. G. Algumas dificuldades na aprendizagem da linguagem escrita em crianças de baixa renda. Trabalho apresentado no V Simpósio Brasileiro de Pesquisa e intercâmbio Científico. ANPEPP, maio, 1994.
STREET, B. V. Literacy in theory and Practice. Cambridge, University Press, 1984.

TERZI, S. B. Para que ensinar a ler jornal se não há jornal na comunidade?: O letramento simultâneo de jovens e adultos escolarizados e não escolarizados. In: RIBEIRO, V. M. (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas: Mercado de Letras, 2001, pp. 153-176.

TFOUNI, L.V. Letramento e alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995.

TRAVAGLIA, L.C. Gramática ensino plural. São Paulo: Cortez, 2003, p. 21-55.
Publicado
2018-10-14
Como Citar
DE OLIVEIRA PAIVA, Francisco Jeimes. REFLEXÕES SOBRE O USO DO LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS NO ENSINO DE PRODUÇÃO DE GÊNEROS DISCURSIVOS NA ESCOLA. Multidebates, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 467-478, out. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/104>. Acesso em: 17 nov. 2018.
Seção
Artigos