O SISTEMA DE COTAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA

UM CASO BRASILEIRO

  • Fátima Kzam Damaceno de Lacerda UERJ

Resumo

Este trabalho possui como objetivo discutir a situação dos estudantes que ingressam através do sistema de cotas em cursos a distância. Os dados apresentados foram obtidos através de análise documental e entrevistas com ex-alunos do curso semipresencial de Pedagogia para as séries iniciais, no período de agosto de 2003 a dezembro de 2010, no Polo EAD de Nova Friburgo (RJ/Brasil). Verificamos que 57,5% dos discentes concluíram com aproveitamento o referido curso, e que a evasão foi de 23,5%. A porcentagem de alunos cotistas que concluíram (63,9%) é maior do que a dos não cotistas (56,1%) e a evasão é significativamente menor. Os dados também revelam que não há diferença significativa entre os coeficientes de rendimento dos alunos cotistas e não cotistas. A partir deste estudo, sugerimos o aprofundamento das pesquisas sobre as ações afirmativas e a educação superior a distância.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Formada em Licenciatura em Química (UERJ, 1985) e em Engenharia Química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1987), possui Mestrado em Tecnologia de Processos Bioquímicos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (EQ/UFRJ, 1991) e Doutorado pelo Programa Multidisciplinar em Meio Ambiente da UERJ (PPGMA/UERJ, 2012). É Especialista nas áreas de Educação Matemática (FFSD-NF, 2002) e Planejamento, Implementação e Gestão em Educação a Distância (UFF, 2010). Professora do Instituto de Química da Universidade do Estado do Rio de Janeiro desde 1994 (DTPB/IQ/UERJ), foi diretora do Polo de Educação a Distância de Nova Friburgo de 2003 a 2011 e Diretora Adjunta de Tutoria da Fundação CECIERJ de 2012 a 2013. Atualmente é procientista da UERJ e professora dos Cursos de Pós-Graduação stricto sensu em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua) e Ensino de Biologia (PROFBIO). É Coordenadora da Universidade Aberta do Brasil (UAB) da UERJ, atuando junto aos cursos semipresenciais de licenciatura da universidade. Possui experiência na área de Bioquímica, Processos Bioquímicos e Educação, com ênfase em Educação a Distância, principalmente nos seguintes temas: educação em ciências, educação ambiental, ciências ambientais e formação de professores.

Referências

ALMEIDA, O.C.S. Evasão em cursos a distância: análise dos motivos de desistência, 2008. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2010.
ARRUDA, J.R.C. (Org.). Política de ações afirmativas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UERJ, Rede Sirius, p.11-26, 2007.
BRASIL. Lei 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF, v. 134, n. 248, p. 27833-841, 23 de dezembro de 1996.
CESAR, R.C.L. Ações afirmativas no Brasil: e agora, doutor? Revista Ciência Hoje, v. 33, n. 195, p. 26-32, julho 2003.
CESAR, R.C.L. Questões Jurídicas do sistema de reserva de vagas na universidade brasileira: um estudo comparado entre a UERJ, a UNB e a UNEB. Laboratório de Políticas Públicas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2004. 69 p.
CORRÊA. P.S. Evasão na educação a distância: o caso do curso de licenciatura em pedagogia do Polo EAD de Nova Friburgo. 2013. 53 p. Monografia – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.
CORRÊA, P.S.; LACERDA, F.K.D. EAD e evasão no polo de Nova Friburgo: identificando causas e propondo soluções. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA, 8., 2011, Ouro Preto, MG. Anais do VIII ESUD. Ouro Preto: UniRede, 2011. CD-ROM, 11p.
ESPÍNDOLA, R.M. Evasão na educação a distância: o caso do curso de licenciatura em ciências biológicas do Polo EAD de Nova Friburgo. 2013. 62 f. Monografia – IBRAG, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.
ESPÍNDOLA, R.M.; LACERDA, F.K.D. Evasão na Educação a Distância: um estudo de caso. Revista EAD em foco. Fundação CECIERJ, v. 3, n. 1, dezembro de 2013, p. 96-108. 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2014.
FAGUNDES, L.C. A formação de professores na licenciatura presencial e na licenciatura a distância: semelhanças e diferenças. In: SEED/MEC. Desafios da Educação a distância na formação de professores. Brasília: Secretaria de Educação a Distância, p. 67-78, 2006.
LACERDA, F. K. D. Relatando experiências em EAD: O caso do Polo de Nova Friburgo. In: BRUNO, M.; RITTO, A. (Org.) Educação a Distância: flexibilidades e paradigmas. Rio de Janeiro: PoD, p. 145-170, 2010a.
LACERDA, F.K.D. Ações afirmativas e EAD: um estudo de caso. Revista Tessituras, v. 2, n. 2, novembro de 2010, 2010b. 18p. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2013.
LACERDA, F.K. D. Contribuições da Educação a Distância para a Educação ambiental: utilização da rede sociotécnica na análise das concepções de meio ambiente e saúde no polo de Nova Friburgo. 2012. 292 f. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) – PPGMA, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.
LESSA, R. Quais as vantagens da racialização? Revista Ciência Hoje, v. 45, n. 266, p. 80, dezembro de 2009.
LESSA, R. Cotas sociais na UFRJ. Revista Ciência Hoje, v. 46, n. 274, p. 80, setembro de 2010.
MAIA, M. C.; MEIRELLES, F. S. Estudo sobre Educação a Distância e o Ensino Superior no Brasil, abril de 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2010.
MOURÃO SÁ, M. S. M. Políticas de ação afirmativa: uma estratégia de sobrevivência dentro da universidade pública. In: ARRUDA, J. R. C. (Org.). Política de ações afirmativas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UERJ, Rede Sirius, p.39-46, 2007.
NEDER, M.L.C. A formação do professor a distância: desafios e inovações na direção de uma prática transformadora. Cuiabá: EdUFMT, 2009. 267 p.
OLIVEIRA, A.P.; CAVALCANTE, I.F.; GONÇALVES, R.S. O processo de evasão (ou desistência) no curso de Licenciatura em Letras Espanhol ofertado pelo Campus EAD-IFRN: causas possíveis. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 1., 2012, São Carlos, SP. Anais do I SIED: EnPED, São Paulo: UFSCar, 2012, 17 p. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2013.
PAIVA, A.R. Ação afirmativa nas universidades públicas. Revista Ciência Hoje, v. 47, n. 277, p. 38-43, dezembro de 2010, 2010a.
PAIVA, A.R. (Org.). Entre dados e fatos: ação afirmativa nas universidades públicas. Rio de Janeiro, Pallas/PUC-Rio, 2010b.
RIO DE JANEIRO. Lei nº 4151, de 04 de setembro de 2003. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2011.
RIO DE JANEIRO. Lei nº 5074, de 17 de julho de 2007. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2013.
SILVA, M. EAD on-line, cibercultura e interatividade. In: ALVES, L., NOVA, C. (Org.). Educação a Distância: uma nova concepção de aprendizado e interatividade. 1. ed. São Paulo: Editora Futura, v. 1, p. 51-62, 2003.
SILVA, M. Internet na escola e inclusão. In: ALMEIDA, M.E.B., MORAN, J.M. (Org.). Integração das tecnologias na educação: salto para o futuro. 1.ed. Brasília: SEED/MEC, v. 1, p. 63-69, 2005.
Publicado
2018-10-14
Como Citar
LACERDA, Fátima Kzam Damaceno de. O SISTEMA DE COTAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA. Multidebates, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 305-317, out. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/112>. Acesso em: 17 nov. 2018.
Seção
Artigos