AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: A EFICÁCIA DE INSTRUMENTOS E METODOLOGIAS E SUAS APLICAÇÕES NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM ON-LINE

  • Marcelo Tomazi Silveira Uniasselvi
  • Luz Mary Padilha Dias UNIASSELVI

Resumo

Avaliar significa medir, quantificar, comensurar. No âmbito da educação, significa verificar quais habilidades e competências, em determinada área, foram apreendidas pelo estudante. Há variados métodos e sistemas de avaliação, porém as dificuldades para lograr sucesso são muitas. Na Educação a Distância (EAD), essas dificuldades são potencializadas, pois o professor (mais conhecido por tutor) e o aluno não dividem olhares, estão em espaços físicos e geográficos distintos. Verificando essas dificuldades e problemas e relacionando-os na busca por padrões, algumas estratégias de ação podem ser idealizadas. Com base nos sistemas de avaliação aplicados à EAD na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), esses padrões ou métodos foram verificados e relacionados, na busca por estratégias mais eficazes para a obtenção do sucesso na avaliação do aprendizado no âmbito da educação a distância. Propõe-se um sistema híbrido de avaliação, com uso de métodos tradicionais e presenciais, como exames, provas e trabalhos, e também averiguações on-line, síncronas e assíncronas, como chats, fóruns, enquetes, textos colaborativos (wikis) e outras.

Referências

ANTUNES, Celso. A avaliação da aprendizagem escolar. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. (Fascículo 11).

BLOOM, Benjamin S.; ENGELHART, Max D.; FURST, Edward J. et. al. Taxionomia de objetivos educacionais. 7. ed. Porto Alegre: Globo: 1979. (1 Domínio Cognitivo).

BRASIL. Decreto nº 5.622, de 19 dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: Acesso em: 14 mar. 2012.

DA SILVA, Angela Carrancho (org.). Aprendiz@gens em @mbientes virtu@is e educação a distância. Porto Alegre: Mediação: 2009.

DIAS, Rosilâna Aparecida; LEITE, Lígia Silva. Educação a distância: da legislação ao pedagógico. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação: mito & desafio – uma perspectiva construtivista. 18. ed. Porto Alegre: Mediação, 1995.

______. Pontos e contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. 9. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

JANSEN, Letácio. Um breve ensaio sobre o valor. Revista Eletrônica de Direito Administrativo Econômico (REDAE), Salvador, Instituto Brasileiro de Direito Público, n. 14, mai-jul., 2008. Disponível em: Acesso em: 09 mar. 2012.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 17. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MORAN, José Manuel. O que é educação a distância. [online] Disponível na Internet via WWW. URL: http://www.eca.usp.br/prof/moran/dist.htm. Arquivo capturado em 07 mar. 2012.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: ARTMED, 1999.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referenciais de qualidade para a educação a distância. [online] Disponível na Internet via WWW. URL: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf. Arquivo capturado em 14 mar. 2012.

TYLER, Ralph W. Princípios básicos de currículo e ensino. 5. ed. Porto Alegre: Globo: 1978.
Publicado
2018-10-15
Como Citar
SILVEIRA, Marcelo Tomazi; DIAS, Luz Mary Padilha. AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: A EFICÁCIA DE INSTRUMENTOS E METODOLOGIAS E SUAS APLICAÇÕES NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM ON-LINE. Multidebates, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 359-376, out. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/113>. Acesso em: 17 nov. 2018.
Seção
Artigos