EVASÃO UNIVERSITÁRIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ITOP

O QUE REGE O FENÔMENO?

  • Sabrina da Silva Gonçalves Ponki Kückelhaus
  • Ana Paula Cavalcante dos Santos Faculdade ITOP
  • Cláudia Nolêto Maciel Luz

Resumo

recorrente e que causa uma grande dimensão na graduação. A presente pesquisa teve o intuito de contribuir para o ambiente acadêmico, respondendo às seguintes questões norteadoras: quais os motivos da evasão universitária na Faculdade ITOP? O que pode ser feito para minimizar essa evasão? Para responder a esses questionamentos foi estabelecido como objetivo geral: analisar as variáveis que regem a evasão universitária na Faculdade ITOP no período de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. A metodologia aplicada possibilitou classificar a pesquisa como de natureza qualitativa e num segundo momento, foram utilizados instrumentos técnicos da pesquisa quantitativa. A pesquisa desenvolveu-se a partir de entrevistas com os evadidos, onde foi possibilitado, aos pesquisadores, o conhecimento mais aprofundado da complexidade do problema. Os resultados, com base nos dados da pesquisa, evidenciaram que dos 18 alunos listados como evadidos do curso de administração da ITOP, no período de 1 ano, considerando evasão como o trancamento de matrícula sem retorno até aquela data, 6 sujeitos são do sexo masculino e 12 do sexo feminino. Da totalidade, os gestores educacionais têm a necessidade de desenvolver um diferencial competitivo com a finalidade de reter estes acadêmicos, pois, de acordo com a pesquisa, alguns alunos evadidos estão atravessando problemas financeiros; outros estão fora da sala de aula porque necessitam trabalhar, alguns mudaram de cidade e outros foram estudar no curso de Administração de uma universidade pública.  Os administradores acadêmicos da instituição de ensino devem desenvolver ações voltadas para a minimização da evasão, tais como: acolhimento dos calouros; acompanhamento de todos os discentes ao longo da graduação; coordenação de eventos que promovam a orientação vocacional e profissional dos alunos e demais.  

Referências

ANDRIOLA, William Barbosa. Evasão Discente na Universidade Federal do Ceará (UFC): proposta para identificar causas e implantar um Serviço de Orientação e Informação (SOI). In Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v. 11, n. 40: 332-347, jul./dez. 2003.

AUGUSTIN, Cristina. Dinâmica das vagas. UERJ. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2016.

BARDAGI, Marucia; HUTZ, Claudio Simon. Evasão universitária e serviços de apoio ao estudante: uma breve revisão da literatura brasileira. In: Psicologia Revista. São Paulo, 14(2): 279-301, novembro 2005.

BIAZUS, Cleber Augusto. Sistema de fatores que influenciam o aluno a evadir-se dos cursos de graduação na UFSM e na UFSC: um estudo no curso de Ciências Contábeis. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

BOHOSLAVSKY, Rodolfo. Orientação vocacional: A estratégia clínica, São Paulo: Martins Fontes, 1996.

CERQUEIRA, T. C. S. (2003). Evasão do curso de Pedagogia da UnB: a interpretação do aluno evadido. In: III CONGRESSO NORTENORDESTE DE PSICOLOGIA CONSTRUINDO A PSICOLOGIA BRASILEIRA: DESAFIOS DA CIÊNCIA E PRÁTICA PSICOLÓGICA (v. II, pp. 282-283). João Pessoa, 27 a 31 de maio.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 3ª. Ed. São Paulo: McGraw Hill do Brasil, 1983.

COSTA, Ariana de Sousa Carvalho; SANTANA, Lídia Chagas de; TRIGO, Antonio Carrera. Qualidade do atendimento ao cliente: um grande diferencial competitivo para as organizações. In: Revista de Iniciação Científica – RIC, Cairu. Jun. 2015, Vol 02, n° 02, p. 155-172.

CUNHA, A. M.; TUNES, E. e SILVA, R. R. (2001). Evasão do curso de Química da Universidade de Brasília: a interpretação do aluno evadido. Química Nova, 24, 262-280.

GAIOSO, Natalicia Pacheco de Lacerda. O fenômeno da evasão escolar na educação superior no Brasil. 2005. 75 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2005.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GODOY, A.S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE, v.35, n.2, p. 57-63, 1995.

GOMES, Alberto Albuquerque. Evasão e evadidos: o discurso dos alunos sobre evasão escolar nos cursos de licenciatura. Artigo extraído da tese de doutoramento defendida em 02/10/1998. Departamento de Educação - Faculdade de Ciências e Tecnologia - UNESP -19060-900 - Presidente Prudente - São Paulo, 1998.

GRISPINO, Izabel Sadalla. A preocupante evasão de alunos da USP. 2005. Disponível em: http://www.izabelsadallagrispino.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1430:a-preocupante-evasao-de-alunos-da-usp&catid=103:artigos-educacionais&Itemid=456. Acesso em 20/10/2016.

JUSTINO, Guilherme. Instituições de Ensino Superior privado fazem readequações para encarar desafios impostos pela crise. In: ZH Educação (online). Disponível em http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/educacao/noticia/2016/07/instituicoes-de-ensino-superior-privado-fazem-readequacoes-para-encarar-desafios-impostos-pela-crise-6711979.html. Acesso em 20/10/2016.

LOPES, Noêmia. Como combater o abandono e a evasão escolar. In: Nova Escola. São Paulo: Editora Abril, abril/maio de 2010. Disponível em: < http://gestaoescolar.abril.com.br/aprendizagem/como-combater-abandono-evasao-escolar-falta-alunos-abandono-acompanhamento-frequencia-551821.shtml>. Acesso em 20/10/2016.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1993.

PACIEVITCH, Thais. Evasão escolar. In: Brasil Escola. Disponível em < http://www.infoescola.com/educacao/evasao-escolar/>. Acesso em 20/10/2016.

RIBEIRO, Marcelo Afonso. A trajetória da carreira como construção teórico-prática e a proposta dialética de carreira psicossocial. In: Cadernos de Psicologia Social e do Trabalho (USP), São Paulo, v. 12, n. 2, 2009b. p. 203-216.

______. O Projeto Profissional Familiar como Determinante da Evasão Universitária – Um Estudo Preliminar. In: Revista Brasileira de Orientação Profissional, 2005, 6 (2), pp. 55 – 70.

SAMPAIO, Breno; SAMPAIO, Yony; MELLO, Euler P. G. de and MELO, Andrea S. Desempenho no vestibular, background familiar e evasão: evidências da UFPE. In: Revista Economia Aplicada [online]. 2011, vol.15, n.2 [cited 2017-08-13], pp.287-309.

SILVA, Gislaine Chagas da. Evasão escolar: causas sociológicas. In: Portal da educação. Disponível em https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/idiomas/evasao-escolar-causas-sociologicas/58568

SILVA FILHO, Roberto Leal Lobo e; MOTEJUNAS, Paulo Roberto; HIPÓLITO, Oscar e LOBO, Maria Beatriz De Carvalho Melo. A evasão no ensino superior brasileiro. In: Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, set./dez. 2007.

SILVEIRA, Denise Tolfo e CÓRDOVA, Fernanda Peixoto. A pesquisa científica. In: Métodos de pesquisa, Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009, p. 31-42.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 1987, 174 p.

WHITAKER, Dulce. A seleção dos privilegiados: um estudo sobre a educação brasileira. São Paulo: Semente, 1981.
Publicado
2018-08-12
Como Citar
PONKI KÜCKELHAUS, Sabrina da Silva Gonçalves; SANTOS, Ana Paula Cavalcante dos; LUZ, Cláudia Nolêto Maciel. EVASÃO UNIVERSITÁRIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ITOP. Multidebates, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 8-27, ago. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/3>. Acesso em: 18 dez. 2018.