BAILE PERFUMADO: RETOMADA DO CINEMA PERNAMBUCANO

  • Maria das Graças dos Santos Correia Ufal

Resumo

Este estudo objetiva refletir sobre a realidade estética e social contemporânea, partindo da análise das obras fílmicas do novo cinema pernambucano. Fazemos um percurso histórico do cinema em Pernambuco. Para tal, partimos das pesquisas acerca do início do cinema em Pernambuco, por volta de 1922, a partir do chamado “Ciclo do Recife”, passando pela segunda metade da década de 1950, quando surgiu o Cinema Novo. Com o fim do Cinema Novo, surge, a partir de 1970, o chamado Cinema Marginal, que dá continuidade à postura contestatória e ao privilégio das questões político-sociais anteriormente defendidas. Ainda na década de 1970, teve início o movimento chamado “Ciclo do Super-8”. A partir do percurso histórico desse novo modo de fazer cinema, tomamos como ponto de partida para a pesquisa o filme “O Baile Perfumado”, de 1996, com direção conjunta de Lírio Ferreira e Paulo Caldas. Seu lançamento marcou os novos caminhos do cinema brasileiro, apresentando uma estética que se distancia das comédias urbanas de inspiração televisiva, que eram exploradas até então. Neste sentido, ele representa um certo marco histórico do novo do cinema pernambucano, mais de 20 anos após seu lançamento, obra que ainda é vista como uma universidade de cinema para toda uma geração.

Referências

ARAÚJO, Mateus. Nos 20 anos de 'Baile Perfumado', livro narra os bastidores do filme. FOLHA DE SÃO PAULO. Disponível em: http://m.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/08/1802852-nos-20-anos-de-baile-perfumado-livro-narra-os-bastidores-do-filme.shtml. Acesso em: 27/10/ 2016.
BAILE PERFUMADO. Direção: Lírio Ferreira, Paulo Caldas. Produção: Lírio Ferreira, Paulo Caldas, Aramis Trindade, Germano Coelho Filho, Marcelo Pinheiros. Interpretes: Duda Mamberti, Jofre Soares, Cláudio Mamberti, Luiz Carlos Vasconcelos, Giovanna Gold, Aramis Trindade, Chico Dias. Roteiro: Lírio Ferreira, Paulo Caldas, Hilton Lacerda. Rio Filme, 1996. 93 min., cor.
CICLO DO RECIFE. Ciclo do Recife (1923-1931). Disponível em: https://ciclodorecife.wordpress.com/ciclo-do-recife/. Acesso em: 25/03/2017.
INFOESCOLA. Cinema Novo. Disponível em: . Acesso em: 21/04/2017.
PUGLIA, Leonardo Seabra. O cinema em Pernambuco. 2015. 165 f. dissertação (mestrado em ciências sociais) - Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Pontífice Universidade Católica do Rio de Janeiro- PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2015.
MANSUR, Amanda. O novo ciclo do cinema em Pernambuco: a questão do estilo. 2009. 160 f. dissertação (mestrado em comunicação) – Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
MARINHO, Carla. História do cinema pernambucano. Disponível em < http://cinemaclassico.com/curiosidades/historia-do-cinema-pernambucano/>. Acesso em: 09/05/2017.
OLIVEIRA, Daniel. Cinema pernambucano no comando. Disponível em: http://www.otempo.com.br/divers%C3%A3o/magazine/pernambuco-no-comando-1.1347068. Acesso em: 8/11/ 2016.
PAIVA, F. G.; GUERRA, J. R.; ALMEIDA, S. L. Produção cultural “fora do eixo”: O posicionamento do cinema pernambucano contemporâneo In: IV ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINAR EM CULTURA. 4, 2008. Salvador. Anais do IV ENECULT. Salvador: UFBa, 2008. 15 p.
SANTANA, Ana Lucia. Cinema novo. Disponível em: http://www.infoescola.com/cinema/novo/. Acesso em: 7/12/ 2016.
UOL ENTRETENIMENTO. O novo cinema pernambucano. Disponível em: . Acesso em: 05/04/2017.
Publicado
2018-10-14
Como Citar
DOS SANTOS CORREIA, Maria das Graças. BAILE PERFUMADO: RETOMADA DO CINEMA PERNAMBUCANO. Multidebates, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 411-423, out. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/94>. Acesso em: 17 nov. 2018.
Seção
Artigos