QUILOMBOS DE PINHEIRO, MA: ESSENCIALISMOS, RESSEMANTIZAÇÃO, ETNOGÊNESE E ALTERIDADE

  • Alipio Felipe Monteiro dos Santos Universidade Federal do Maranhão

Resumo

Este artigo tem por objetivo desenvolver algumas considerações sobre a ressemantização do conceito de quilombos, em contraste aos essencialismos produzidos pelo discurso conceitual estático de cultura. O município de Pinheiro, Estado do Maranhão, e seus quilombos com suas características heterogênicas e etnogênicas constituem o impulso dessa reflexão. Ao discutir o panorama histórico de uma memória feita por cima sobre o negro e o quilombo no Brasil relacionada com o presente e os Estudos Culturais, entre-tecemos o conceito de Ética da Alteridade de Lévinas dialogando com a problemática do senso comum em não conceber como quilombolas certas comunidades em mobilidade cultural, propondo dois pontos de reflexão: primeiro, da compreensão de que cultura não é sinônimo de visão estática de mundo, e segundo, da prática de relação em desinteresse de Lévinas como primeira filosofia.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Graduando de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Humanas, com Habilitação em História, pela Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, e pós graduando em História e Cultura Afrobrasileira (Stricto Sensu) pela FAVENI. Interesse em pesquisas sobre comunidades quilombolas que perpassem a interdisciplinaridade nas ciências humanas, compreendendo estudos da História Cultural.

Publicado
2018-10-14
Como Citar
DOS SANTOS, Alipio Felipe Monteiro. QUILOMBOS DE PINHEIRO, MA: ESSENCIALISMOS, RESSEMANTIZAÇÃO, ETNOGÊNESE E ALTERIDADE. Multidebates, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 394-410, out. 2018. ISSN 2594-4568. Disponível em: <http://www.faculdadeitop.edu.br/revista/index.php/revista/article/view/96>. Acesso em: 17 nov. 2018.
Seção
Artigos